sábado, 17 de março de 2018

Liga da Justiça Ano 1 - Parte 2





Aqui se inicia a 2° fase da equipe. Após salvar o mundo e se apresentarem oficialmente, a equipe vive uma crise de relações públicas (e privadas).
A edição 7 foca muita nas relações entre o Governo Americano e a Liga da Justiça, assim como na relação entres os integrantes da equipe.
A relação entre Batman e Lanterna Verde é bem engraçada e divertida. Achei bem natural nesse início e faz jus a essa rivalidade Batman/Lanternas que perdura desde que Guy Gardner Virou Lanterna Verde.
Por outro lado, O Governo Americano, como sempre, está metido em sua busca insana por controle e poder. Eles tentam usar o coronel Steve Trevor para esse fim. Como ele se recusa (provavelmente porque está caidinho pela Mulher-Maravilha), os Governantes tentam ameaça-lo usando a relação pessoal do Coronel com a Diana para persuadi-lo. Porém, eles falham após Steve argumentar que, a Liga da Justiça iria adorar fazer uma visita ao gabinete deles usando seus poderes (imagina os podres que alguém com visão de raios X iria descobrir heim?) - Boa soldadinho. Jogou bem.



O vilão da semana, ESPORO, é um vírus que acidentalmente infecta um cientista que o estudava. Com poderes mentais telepáticos, ele projeta criaturas orgânicas com presas para atacar suas vítimas; e logo sua Ex-mulher se torna um alvo.
A equipe consegue descobrir o endereço da cônjuge do vilão trabalhando em equipe e partem para salvar o dia. Aqui, percebemos como eles estão bem a vontade em maioria. Cyborg sendo um dos cérebros da equipe; Batman sendo o estrategista (pra mim ser líder é muito mais, mas fica pra outro post isso); Flash sendo o Policial bonzinho que quer apenas resolver a situação; Mulher-Maravilha sendo uma mulher de ação ( pergunta logo sobre as habilidades "físicas" do vilão para se preparar para o combate); Superman calado (confesso um pouco estranho, já que em teoria, a edição 7 já se passa no presente, após 5 anos da invasão de Darkside); Aquaman de mau humor (Haha) sendo o homem de ação aqui; E, por fim, o Lanterna verde sendo, bem, o Lanterna verde...(muito cara de pau, ego inflamado e tudo que um bom exibicionista é).
A revista  mostra como é a equipe em ação e como estão se desenvolvendo como super-heróis. Temos bons momentos nesta edição, como quando o Lanterna Verde fica preso no laço da Mulher-Maravilha (Hahhahaah) e o Aquaman diz a ele o quanto adora quando isso acontece (Não faça isso homem peixe haha);
Fica perceptível também, que Steve Trevor está realmente apaixonado pela Mulher-Maravilha, mas não tem nada "sério" com a Princesa. Ao que parece, ou ele quer manter sua relação em segredo ou ela não tá dando a mesma importância para o caso deles.



Na edição 8 somos apresentados ao Arqueiro verde e sua busca incessante por se tornar membro da equipe de Justiceiros.
Oliver persegue a equipe se metendo em várias enrascadas e buscando provar seu valor e utilidade para o grupo.
A equipe parece não está interessada nos dotes do Arqueiro, com exceção do Superman (Que como sempre, tende a acreditar nos outros acima de tudo).
A cada vilão preso e diálogos trocados o Arqueiro se sente frustrado por não conseguir atingir seu objetivo. Então, ao. Final da história ele é surpreendido por uma proposta do Governo Americano feita pelo Coronel Trevor - Leia-se Liga da Justiça da América.
Até aqui, Superman e Mulher-Maravilha ainda estão distantes e apenas trocam alguns olhares. Pouca interação direta.
Conforme a história avança fica evidente que o grupo passa por uma crise de confiança. Enquanto Batman trabalhava secretamente com o Superman ; Flash e Lanterna Verde faziam o mesmo, porém, o restante da equipe ficava excluída e muitos possuíam segredos não compartilhados.



O novo vilão da história, GRAVES, consegue colocar a equipe em conflito e põe seu plano em ação. Lanterna Verde (como sempre) questiona ao Superman do porque dele paira acima de todos o tempo todo, e que ninguém sabe muito sobre ele. Surpreendente, Cyborg mostra conhecer os segredos de todo mundo e solta um: " Ele está OBSERVANDO. É o que um repórter faz." - Seria esse o motivo do Superman ser tão calado nessa nova versão? Ele está o tempo todo no modo repórter? (Ninguém nunca se perguntou sobre isso quando reclamavam sobre esse não ser o Superman de "sempre" e tal - É uma possibilidade).
Claramente, Batman tem seu momento de ficar surpreso quando VICE STONE declara: " Se está em um computador, eu consigo ler." Levando o cavaleiro das trevas a focar de cara feia ( e provavelmente já pensando em arquivos manuais pra essa diligência).
Mulher-Maravilha fica muito abalada quando o vilão sequestra STEVE TREVOR e a irmã do Coronel, Tracy Trevor, a acusa de o colocar sempre em perigo. Frustrada com a situação, Diana resolve partir sozinha para encontrar seu e ex-companheiro e é parada pelo LANTERNA VERDE (sempre ele aiah). Hal tenta por um pouco de senso de equipe na Amazona, que não está pra conversa e ordena que ele a solte da sua bolha energética. O policial intergaláctico simplesmente diz "não" e toma o maior soco de todos os tempos da Guerreira furiosa! Rapidamente o público comenta que o Lanterna tomou uma sova da Mulher-Maravilha e é o suficiente pra inflamar o ego canastrão do Verdinho que parte pra cima da Amazona.
Rapidamente, Batman pede para Flash e Aquaman tirarem os civis do campo de batalha, que a rua havia se tornado, e Cyborgue percebe que tudo está sendo filmado para o mundo inteiro.
Superman resolve interferir e toma um chute clássico da Princesa pelo meio do rosto! what a fuck!! Que mulher!!
Finalmente os ânimos se acalmam, quando Batman pede pra Cyborg teleportar a Liga da Justiça dali.
Nutrido pela força dos ASURAS, entidades rejeitadas pelos deuses e expulsas do paraísos, DAVID GRAVES, que perdeu sua família durante a invasão de Darkside, agora nutre um grande poder espiritual e telepático, depois de fazer um pacto com as divindades. Ele acredita que  a Liga da justiça é a culpada por sua família perecer misteriosamente de doenças inexplicáveis após a guerra. Definhando igualmente, ele parte numa jornada em busca de poder e cura para reviver sua família e quebrar a liga da justiça.
GRAVES sequestra o coração da equipe, STEVE TREVOR, e destrói herói por herói usando seus próprios medos e mágoas passadas.  Superman vê seu pai ali tendo um ataque cardíaco; Batman seus pais sensos mortos; Lanterna Verde vê seu pai depois que o avião caiu matando-o; Flash vê seu pai preso por "matar" sua mãe; Cyborgue seu pai desprezando-o por toda sua vida; e finalmente Mulher-Maravilha vê seu ex-namorado sendo sequestrado, torturado e "morto"! Assim termina a edição 11.
Na edição final, nossos heróis contemplam seus medos no covil do vilão. Aqui já notamos uma preocupação do Superman com a Mulher-Maravilha enquanto era atacada. O vilão não era lá tão poderoso no sentido físico, mas seu objetivo principal havia sido concluído: Abalar a estrutura da Liga da Justiça gerando insegurança entres os membros. O vilão revela que o sequestro de STEVE TREVOR tinha como objetivo  atingir pessoalmente Diana, que segundo ele, seria a única que ainda não havia experimentado a dor humana perda. Apesar dos seus esforços, GRAVES não consegue cumprir parte de seu plano, já que TREVOR escapa e consegue libertar a Amazona de seu estado catatônico. No final a LIGA consegue deter o vilão, mas o estrago já estava feito. A confiança da equipe estava abalada.
Mulher-Maravilha encontra Steve Trevor no hospital e resolve se afastar dele após o incidente que quase custou sua vida.
Lanterna Verde então, resolve se sacrificar pelo grupo ao permitir ponham a culpa toda nele. Assim, Hal Jordan parte e deixa uma vaga disponível. Aquaman tenta assumir a liderança da equipe após Batman ter falhado. Segundo ele, Batman é um bom estrategista, mas um péssimo líder -  tenho de concordar com o peixinho dourado. Ser líder vai além disso.
Após esses acontecimentos Superman e Mulher-Maravilha se encontram sob o telhado da sede governamental dos EUA. Eles conversam sobre como as pessoas como eles, Super-heróis, são solitários e no fim acabam se beijando. Aqui temos o lado mais humano desses dois seres super poderosos. Vimos que, Diana pode ser uma Mulher forte e poderosa, mas até ela tem sentimentos e uma das necessidades mais humanas: A de ser relacionar com  outras pessoas. Vimos como ela sofre por isso; Clark a mesma coisa. Ele sempre precisou esconde quem ele era e se reprimiu por muito tempo. Precisou de uma identidade secreta para se aproximar e proteger que ele ama. E quando Diana pergunta se deu certo tudo isso ele responde:" eu não sei. Ainda estou me escondendo". Muitos criticaram o início da relação, mas faz todo sentido. Eles são "deuses" num mundo de homens que os desprezam e temem. É natural se sentir bem na presença um do outro. E outra, lembrem-se que o beijo se passa após 5 anos de flerte (que é quando a invasão de Darkside acontece). Nessa época Diana ainda estava com o Trevor e Superman (bem, ele tava com alguém?) Estava sozinho. Portanto, o beijo pode ter tido um viés comercial (afinal é uma empresa e precisa vender) mas que foi construído respeitando a narrativa, isso foi.
No final, vimos que Graves, o vilão vencido, fica sob posse do governo dos EUA, mais precisamente , Amanda Waller, e é obrigado a trabalhar para eles com objetivos claros de subjugação da LIGA DA JUSTIÇA - ou seja, o Governo ainda quer controlar a Equipe e vai jogar sujo se for preciso.
Assim se encerra o Ano 1 da Liga. Crise de confiança; Membros saindo; relacionamentos começando e  novos Vilões surgindo.



Mostra o quanto os heróis se sentem inseguros em relação ao que o mundo pensa deles.




sábado, 10 de março de 2018

Liga da Justiça Ano 1 - Parte 1




Hoje vamos falar de Liga da Justiça - Origem. Que são as 6 primeiras edições da revista mensal da Liga da Justiça lançada durante a fase dos Novos 52 ( Que considero muito superior a Liga da Justiça atual - Renascimento).

A história, que inspirou o filme, mostra a união dos heróis e os conflitos gerados por  suas personalidades e ideologias.
O começo tem ação intensa e cumpri bastante a função de uma HQ: Divertir!
É, porque alguns fãs de HQs são chatos pra cacete e querem uma obra de arte atrás de outra. Filho, deixa eu te dizer uma coisa: isso não faz sentido! Uma vez ou outra teremos clássicos como: O REINO DO AMANHÃ, O CAVALEIRO DAS TREVAS, ENTRE A FOICE E O MARTELO e ETC. Mas em sua maioria, as HQs só vão te divertir mesmo. Então, curta bastante e se divirta oras. E não seja chato. O mundo já está cheio de pessoas assim.
O principal problema pra mim é quando nem isso a HQ consegue fazer, como a fase atual do Renascimento da Liga da justiça. Dá vontade de pular as páginas ou para a leitura de tão ruim que o negócio tá. Aí sim, se deve reclamar e da melhor forma: Não comprando! A melhor forma de protesto na minha opinião.

Agora vamos voltar a Liga da Justiça Origem. Gosto bastante dessa história, principalmente por retratar a inexperiência dos heróis. Estamos acostumados a vê-los seguros, confiantes e determinados. Aqui, pelo menos no início, temos totalmente o oposto disso, o que cria uma certa tensão entre eles.
Não curto muito o Batman, mas a cena que ele mostra ao Lanterna Verde seu "poder" foi Duca demais; Por falar nisso Hal Jordan está um verdadeiro babaca, mas é como eu sempre digo, diversidade é bom nas personalidades também e não só em características físicas. Foi bancana vê-lo em ação contra o Superman. Uma luta um pouco injusta é verdade, mas bem feita.
Superman está poderoso como deveria ser, mas muito inconsequente. Aqui cogito duas hipóteses: Ou a cidade estava vazia e por isso ele mostra ao Batman e o Lanterna verde seu verdadeira poder; Ou ele é imaturo mesmo e não mede consequências dos seus atos. O que seria até justificável por sua "idade" (Aproximadamente 23/25 anos terrestres). Em Batman versus Superman foi muito divertido ver o Morcegão em desespero Hahahah!
" Fale, antes que eu não deixe mais." - Diz um Superman Bravo.
 "Estou tentando." - Diz um Batman Subjugado.
Tenho de confessar que me divertir pacas e soltei um: "Puta que pariu! Agora sim! Isso é o que aconteceria numa luta entre Superman e Batman porraaaaaa!"
A medida que as coisas vão avançando somos apresentados a outros personagens.
Flash me pareceu meio que deslocado algumas vezes. E ficou um pouco estranho a reverência dele ao Batman, afinal os heróis deviam estar no mesmo patamar: São os 7 grandes da editora. Mas isso foi um detalhe técnico mesmo, porque o Velocista deu show em suas participações. A cena dele lutando contra o Superman e resgatando o Azulão dos raios ômegas do Darkside mesmo foi muito bem feita. E a cara dele quando é surpreendido com o dedo do Homem de Aço em sua face…impagável!!
A Mulher-Maravilha da um show em sua estréia. Muitos argumentam que ela parecia uma Bárbara sanguinária e tal. Mas volto ao mesmo ponto de novo: Era o início de tudo seus babacas. Eles não eram ainda os personagens que vocês estão acostumados. Estão em início de carreira e, se quer uma Mulher-Maravilha mais desenvolvida só acompanhar a HQ solo dela feita pelo Brian Azzarello.
 Eu curto muito essa Diana da Liga. A inocência ao tomar sorvete pela primeira vez; A alegria do combate incessante; e seu prazer em exterminar o inimigo…nossa, que incrível!! E que Mulher! ( da pra entender porque o Superman ficou caidinho logo que a viu pela primeira vez).
Aquaman por sua vez foi sub-aproveitado. Explico: Ficou muito forçado essa coisa de liderança a qualquer custo. Os diálogos pareciam sem noção. Ele não deveria ficar o tempo todo dizendo que ele deve ser o líder e coisa e tal. Poderia haver um momento propício para essa questão, porque da forma que foi feita me pareceu "forçado". Mas em relação a personalidade e demais ações do personagem fiquei bastante satisfeito. A cena em que um tubarão engole vários parademônios foi espetacular!
Cyborg é um caso a parte. Sua introdução se encaixou perfeitamente na nova Origem da equipe e deu uma boa evolução ao personagem. É como se ele saísse da infância (titãs) e adentrasse a fase adulta (Liga da Justiça). Eu curti bastante. A cena que sua mão aciona defesas automaticamente para atacar os parademônios foi fantástica. Me lembrou o filme da Liga da Justiça quando Vice ataca Clark "sem querer".
Após a introdução, finalmente Darkside aparece de forma arrasadora!
Os heróis tem dificuldade a princípio contra o Gigante. Superman é levado pelos parademônios e Batman e Lanterna Verde tem uma DR. Percebemos aqui o interesse de Darkside no Kryptoniano, além de está na terra buscando sua filha.
Há um detalhesl na história que passamos despercebidos no início. O fato de Superman falar sobre o MULTIVERSO enquanto era torturado por Deesad. Sim, desde o início ele estava lá e só vieram falar sobre ele lá pra frente quando o Morrison fez a série e tal. Mas passa. A empolgação no lançamento foram demais - por isso escrevi pouco sobre o assunto e estou fazendo meus reviews agora. Continuando.
Notamos o quão poderoso é Darkside, que sozinho arrasa a Liga da Justiça inteira, enquanto os heróis estão desorganizados. Logo após a união e trabalho em equipe as coisas mudam. Batman consegue convencer Hal Jordan a liderar a equipe e segurar Darkside o máximo que puder. Enquanto ele vai em busca do Homem de Aço. E o Lanterna Verde o faz. Ainda que sem ter noção alguma do que esta fazendo hahaha! A batalha é feroz. Mulher-Maravilha e Aquaman são magistrais ao cegar a fera. Flash faz um trabalho de suporte fenomenal. Lanterna Verde mais atrapalha que ajuda, mas vai, ele até que se esforça pra não ser um babaca depois que Bruce o alerta da importância de trabalhar por algo maior que todos eles.
Cyborg arrebenta com tudo e mesmo sendo sua estréia no grupo dos 7 grandes se sai bem. É carismático, convence e não faz papel de coadjuvante. Perfeito!
No final, após Batman salvar o Superman, Darkside finalmente é vencido com a equipe completa e David Graves, um escritor que fugia com sua família dessa guerra, resolve escrever um Livro pra homenagear o grupo que ele pensa ter salvado suas vidas.
A equipe recém formada, não aceita bem a ideia de trabalharem juntos e se envolvem em pequenos desentendimentos e situações cômicas durante a cerimônia de homenagem com o Flash nomeando a equipe de Super "seven".
Podemos observar no prólogo, o surgimento em paralelo do conceito de Super-Heróis: os Supervilões! E aqui começa a aventura nesse novo universo ousado e inovador que DC trouxe após seu Reboot. E você, o que achou desse reinício ousado da DC comics em 2011?

Até a próxima análise pessoal!

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Liga da Justiça - Critíca






Liga da Justiça foi uma decepção. Eu sei, pode ser controverso o que vou dizer, mas a verdade é que gostei do filme, mas me decepcionei. Afinal, era a Liga da Justiça, e sendo fã desde a infância, você naturalmente espera algo épico, grandioso e no mínimo MARCANTE num filme de estréia. E não encontrei nenhum dos 3 elementos presentes no filme.

Tudo, que começou com Batman vs Superman: A Origem da Justiça, lá atrás, foi desfeito em Liga da Justiça, que não parece de fato uma continuação, e sim um filme isolado.
O tom é outro (devia ter sido esse desde o início, mas sem as piadinhas infames e Narrativa corrida) e tem novos personagens a serem apresentados. O começo é similar a LJ dos Novos 52 (HQ que curto muito, diga-se de passagem) e apresenta o Morcegão em Gotham City caçando e investigando desaparecimentos e fenômenos misteriosos. O início da trama é até interessante e até intrigante - pena que se perde no caminho...

A ação é bem desenvolvida e na maioria das vezes bem feita. E, eu disse na maioria das vezes, porque algumas vezes se nota, claramente, o CG puro e nítido em tela - Zack Synder fez falta heim? As piadas forçadas e a narrativa corrida foram o ponto fraco do filme. Ah, e o vilão também - genérico demais.

Sobre o humor - ou as tentativas de humor - eram muitas vezes exageradas, e parecia uma imitação dos erros da Marvel ao querer fazer isso com todos os seus personagens, entretanto, o Flash (Ezra Miller) se encaixa perfeitamente como o alívio cômico; E, arrisco dizer que até o Aquaman funcionou bem com seu sarcasmo e jeitão mal humorado. Eles são  personagens novos que tem alguma introdução coerente, e que é possível ver uma consistência nas ações  deixando o público animado para um filme solo. Sou fã do Superman e da Mulher-Maravilha, mas quem brilhou mesmo foram esses dois na minha opinião e levaram minha preferência - e olha que critiquei bastante o Flash nos trailers da Liga. Mas vai, critiquei o uniforme, e ele continua horrível mesmo haha Ha!

Vamos a um resumo rápido da equipe e do que funcionou/não funcionou:

Ciborgue (Ray Fisher), foi um personagem razoável, seu traje estava horrível, um CG muito mal feito, mas seus dilemas deram uma certa profundidade ao personagem ou pelo menos um gancho pra se explorar um filme solo.

Aquaman (Jason Momoa), é pouco desenvolvido e bem básico em sua abordagem, mas funciona - provavelmente vão aprofundar seu desenvolvimento no filme solo, mais que justo. Mesmo assim ele rouba a cena muitas vezes e participa de momentos bem divertidos da trama - A parte que ele encosta no laço de Diana e declara umas verdades inconvenientes e constrangedoras e impagável.

Mulher-Maravilha - se destaca mais que o Batman, que parece meio deslocado e perdido algumas vezes ( Bem Afleck teve algum problema ao atuar? Nem parecia o mesmo de B v S). As suas cenas de ação são bem feitas e o uniforme está perfeito. Só não curto muito o cabelo, que mesmo após ação desenfreada continua lá no lugar, lindo e brilhoso sem nenhuma sujeirinha nele e no rosto…mas passa pela boa atuação da Gal, apesar de achar que ela está mais magrinha no filme.

Batman - Se mostrou muitas vezes um fardo a equipe, mas ao mesmo tempo isso foi algo bom, pois teve sua supervalorização de "fodão milagroso" diminuída a escala humana. Fica nítido que ele não tem um meio de resolver o problema sozinho com sua tecnologia e métodos individuais - Ele precisa do Superman e dos outros. A atuação de Ben Affleck foi abaixo do esperado e as piadas eram totalmente sem noção, com exceção de algumas ironias que cabiam no momento - como o "Qual seu poder?" - " Sou rico" - funcionou bem aqui.


Superman - teve sua "presença" registrada pela insegurança do mundo, a crise de violência instaladas nas ruas e a própria invasão que se dá a partir de sua morte, já que, em teoria (e de fato arrisco eu dizer) é o único que podia deter a invasão Alien do LOBO DA ESTEPE - inclusive ele faria isso sozinho sem exageros.
Sua relação com a Lois ainda é forçada e sem sal, mas pelo menos seu uniforme estava perfeito. Finalmente tivemos um azul é vermelhos vivos representando a glória do personagem. Saldo positivo aqui, e deu até vontade de assistir um Homem de Aço 2, apesar da perda de potencial do personagem, como por exemplo:

1 - Ter mais emoção em sua ressurreição - Porque tipo, ele ressuscitou e não teve emoção alguma…foi algo normal e devia ser um dos ápices do filme, já que a Warner estava mantendo ele fora dos holofotes como uma cartada na manga;

2 - Perderam a oportunidade de Tocar sua música clássica (Jonh Willians) em sua 1° aparição de uniforme ( perderam a chance de eternizar um momento e entrar pra história);

3 - Ter um elemento melodramático em seu retorno. Sua aparição poderia ter sido num momento mais decisivo, quando tudo fosse parecer perdido - porque não parecia não.

Mas nem tudo está perdido e pelo menos tivemos algo que serviu pra resgatar ou introduzir o Superman de fato no universo DC cinematográfico - antes tínhamos o Clark de uniforme apenas.

Lobo da Estepe - um CG fraco, uma motivação fraca e ações fraca…como sair algo bom disso? Alias as pessoas sabiam que a terra estava em perigo? Porque, sinceramente, não parecia. O filme não demonstra realmente o quão devastador pode ser o perigo que ameaça a existência da humanidade. Nesse aspecto falha miseravelmente.
Lobo da Estepe em nenhum momento demonstra toda sua força ou potencial e mesmo nas lutas em que aparece no passado, ele não soa como uma ameaça de verdade para aqueles heróis e sim um cara que tá lá pra cumprir tabela. Com tempo corrido e narrativa acelerada, o vilão parecia está lá só como pretexto mesmo para unir os heróis e o filme acontecer. Eu preferia o Darkside, mesmo que custasse queimar o vilão logo no primeiro filme, a DC tem outros vilões desse nível pra realocar mais pra frente. Além do mais, poderia ser uma boa oportunidade de Darkside perder a 1º batalha para os heróis e tramar sua vingança num filme futuro. Mas enfim, não dá pra chorar sobre o vilão utilizado…mas pelo menos Lobo da Estepe serve pra mostrar que os heróis funcionam juntos.


O filme não é um total fracasso, mas a Warner ainda tem muito de aprender sobre esses personagens e as emoções que eles despertam nos telespectadores.

Agora vamos a alguns pontos que curti nesse filme - Meu lado de fã falando:



1) Superman está de volta e seu poder e glória são demonstrados ao derrotar facilmente a JL inteira - porque ficou confuso após a ressurreição;
Dá pra perceber que ele luta com o Lobo da Estepe sem se sentir ameaçado diretamente. Foi um trabalho mediano para o Superman que mesmo não estando na maior parte do filme, não deixou de ser citado e admirado pelos futuros companheiros de equipe - Uma pena que a história e narrativa anteriores (MOS e BVS) não justifiquem esse sentimento de enaltecimento e admiração, mas dá pra pensar em algo alternativo.


2) "Você sangra?" Diz um Superman para o Batman enquanto o segurava no ar. Ah doce sabor da vingança…

3) A Mulher Maravilha foi a espinha dorsal da equipe. Lutou como uma guerreira (apesar de parecer fisicamente menor que no filme anterior) e segurou as pontas bem contra o Lobo da Estepe - Só não curto muito aquele poder de bater um bracelete no outro, ficou meio estranho sei lá haha

4) Batman foi meio forçado muitas vezes e bem utilizados em outras (como na cena inicial em Gotham com o parademonio).


5) Aquaman, Flash e Cyborg foram ótimos "coadjuvantes" considerando a sua primeira aparição ao vivo na telona.

Não curtir:

1) Lois sendo a pessoa a acalmar o Superman sendo a "chave" quando o laço da verdade seria um trocadilho muito melhor pra esse fim. SUPERMAN e VERDADE tem tudo a ver e faria muito mais sentido. A Lois foi muito clichê. Tá, e eu tô falando isso porque não gosto dela também hahahahah! Mas o meu argumento foi bom vai hehehe!

2) trazer o Superman de volta usando a caixa materna!? sério? Podiam ter pensado em outra coisa…

As imprecisões:

1) Não havia um Batman e Mulher-Maravilha - ainda bem…sai pra lá maldição Bruce Tim .... eram apenas companheiros de batalha - Mas nota-se que todos os homens da equipe são atraídos por ela, mas claramente ela não é por ninguém.

2) Batman não foi o centro do filme (ainda bem) e cada um teve sua cota de importância.



3) As amazonas ... não conseguem levantar um cavalo ... mas Diana pode levantar um tanque? Ficou estranho isso heim Synder…ou seria Whedon?


2) A Mera teve uma participação curta, mas impressionante. Tem potencial…

3.) Batman .... Sua culpa se transformou um pouco em obsessão pelo Superman, mas eu sei como seu "bromance" pode ser bem desenvolvido no futuro, então dá pra dar uma chance e esperar alguma coisa boa dessa relação meio forçada inicialmente…

Agora é esperar os próximos capítulos desse universo que está se formando. Se o tom for similar ao atual, com a seriedade de Batman V Superman já tá de bom tamanho, mas a narrativa ainda tem muito a evoluir. E você o que achou do filme?

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

A Mulher-Maravilha é a prova de balas?




Que o Superman pode suportar tiros de diversos calibres todo
mundo já sabe. Mas, e a Mulher-Maravilha? Ele tão forte, Rápida, habilidosa - é mais bonita - e inteligente, tanto quanto o Azulão.
Mas e sua invulnerabilidade, a que nível de encontra?
Esta foi uma das perguntas dos quadrinhos que ficou confusa por muito tempo, até hoje! Porque nós vamos esclarecer ela pra você fiel leitor.
Em sua primeira aparição William Marston deixou bem claro que ela não era  à  prova de balas. Isso se deu através da introdução do seu acessório mágico, o  "Bracelete para se defender de balas" -  e também de, sua velocidade para se esquivar delas.
No entanto, a medida que os anos passaram, logo ficou um pouco estranho, o fato dela não ser à  prova de balas. Afinal, esta era uma mulher que pode bater de frente com Superman em uma briga, não faz sentido ela ser derrubada por uma simples bala - independente do calibre.
Então, como toda investigação, o melhor a fazer é ir aos fatos. E o que eles nos dizem? Depende de que universo estamos falando. Se for o principal, a terra 0,  a Mulher-Maravilha não é a prova de balas.  Na verdade, se observarmos bem, Diana foi ferida diversas vezes por lâminas de espadas/facas, enquanto que o Superman, por exemplo, sofria apenas quando esses acessórios eram mágicos. Logo, a Mulher-Maravilha do universo DC tradicional não é a prova de balas. Ponto.Tudo bem que, claramente estamos falando de balas de alto calibre aqui, mas também são "apenas" balas regulares de alto calibre e não,  balas mágicas ou algo assim.
Se fizermos uma pequena viagem para uma terra paralela a coisa já muda de figura. Em INJUSTIÇA - DEUSES ENTRE NÓS Diana resiste a balas de alto calibre tranquilamente e acaba com o pelotão inteiro - Aqui as balas não são nada!


Numa fase dos Novos 52, quando estava com o poder de DEUS DA GUERRA, ela ficou temporariamente a prova de balas. Seu nível tinha subido tanto que, provavelmente nem o Superman desse conta dela em combate.Recentemente no RENASCIMENTO da DC, em Mulher-Maravilha #18, Diana voltou a ser baleada novamente. Então é bem óbvio que apesar de ser tão forte quanto o Superman, a Mulher-Maravilha (Pelo menos a da terra principal) não é invulnerável como o Homem de Aço, e precisa por vezes se esquivar de balas ou e rebatê-las com seus braceletes mágicos vez ou outra.

Então, chegamos a conclusão que Diana é poderosa, mas nem tanto!


terça-feira, 8 de agosto de 2017

Superman e Mulher-Maravilha juntos no Renascimento?




A Liga da justiça de Bryan hitch iniciou recentemente uma nova aventura na revista mensal do grupo. A partir da edição #26 se iniciou- a história intitulada LEGADO onde temos a estreia dos filhos de nossos Super-hilário num futuro pós-apocaliptico. Nao o JON não está presente nele, seu nome é Hunter Prince, uma alegoria ao sobrenome de sua mãe. Ele utiliza ainda seu laço, braceletes e em homenagem ao seu pai a capa vermelha e amarela. Os fãs da Lois ficaram em polvorosa enchendo o Twitter do escritor com mais “mimimi” que estamos acostumados. O Richt logo em seguida os acalmou; o que nos leva a pensar que talvez eles não sejam filhos de Kal e Diana biológicos, e são, na verdade, clones ou coisas do tipo, ou ele (hitch) quis manter o suspense da história (mesmo com um monte de hater enchendo o saco, que é o que qualquer escritor bom faria) e “despistou” os fãs raivosos e desesperados. Enfim, vamos aguardar mais notícias a respeito, mas todos nós fãs do casal poder já sabemos que, eles se relacionaram brevemente no PÓS-CRISE, namoraram no NOVOS 52 e casaram e formaram uma família durante O REINO DO AMANHÃ (e diversas outras hqs alternativas) então, não é surpresa nenhuma que a melhor parceria de super-heróis existente fiquem juntos mais uma vez num futuro possível. E mesmo que não seja nessa história, os dois estão destinados a ficar juntos em futuros longevos como as diversas hqs futuristas têm mostrado. Vamos aguardar!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

O probelma com o Superman de zack Synder



Superman estará de volta em novembro no longa da Liga da Justiça. Mas afinal, qual Superman vai voltar? Não sou daqueles fãs chatos preso ao passado. Sei que não se pode ter o mesmo Superman de 1988, quando o personagem foi lançado oficialmente nos cinemas. Acredito que o Henry pode ser um grande Superman com um roteiro e um diretor melhor. Synder não é ruim, mas está deixando o tempo passar sem conseguir atrelar isso ao  valor do personagem. Vou explicar melhor.
Você poderia perder a esperança já em Batman Vs Superman. Henry não foi bem utilizado em minha opinião, porque eles (Synder//Warner)parecem estar mais preocupados em "humanizar"  ele através de Lois do que mostrar sua humanidade vinda de seu coração compassivo e seu idealismo atrelado a sua educação terrestre com os Kents. Synder colocou seu interesse amoroso, que ele só conheceu há dois anos, antes de qualquer coisa, até mesmo sua mãe. Você não pode fazer isso ... É o Superman ... um herói que tem suas raízes atreladas a bondade e inspiração humanas. Ele não é bom por se relacionar com uma humana, mas se relaciona com uma humana porque é bom. Da Humanidade a todas as formas de vida.
O incidente na África não foi legal e nem romântico.Superman não atravessa homens pelas paredes. Nem mesmo bandidos.E o seu colega, Jimmy Olsen, levou um tiro e lá estavam ele e Lois ocupados em uma banheira e não com um pensamento solidário para com seu colega. Não vou nem comentar sua hipócrita tentativa de perseguir o Batman como um vigilante quando ele, como próprio Superman, não é exatamente amado pelo povo da terra e não estava acima da própria lei. Quem o nomeou juiz e autorizou ele a ser um vigilante? E porque a policia não o perseguia também? Vai, pelo menos o exército o enxergava como uma ameaça e dá pra dar um desconto...
 Outra coisa, ele deveria ter jogado a lança para Diana e deixá-la fazer o serviço na batalha final. Estava óbvio que ela, com 3 mil anos de experiência, era a mais apta ao serviço. Ele não precisava morrer. Sua morte foi uma vã tentativa de ganhar simpatia, mas Batman e Mulher Maravilha mal o conheciam. Nós nem tivemos tempo suficiente e momentos para simpatizar com ele e de repente ele morre. Não houve comoção, tristeza, nada….só uma tentativa  convertida em vazio.
Então fica claro que tivemos um filme do Batman, porque tudo o que aconteceu com o Superman era um gatilho para o Morcego. basicamente, Batman poderia lutar com Superman, ganhar e depois montar a liga. E com ele sendo morto, isso significa que  ele vai provavelmente aparecer da metade ao final do filme a equipe. A Liga vai começa a se unir como um time sem Superman. A própria ideia do Homem de Aço não participar da formação do grupo é estranha, visto que, faria mais sentido Kal unir a Liga ao invés do Bruce. Muito mais natural. E ele sempre foi um membro fundador. Então, quando ele voltar como vai ser?  Novamente teremos a Lois definindo sua moralidade por ser a única a arrastá-lo de volta para seus sentidos? Porque  faria muito mais sentido sua mãe ou sua bondade inata fazendo isso... Seria bom se ele pudesse ser visto da forma como as pessoas o consideram Superman ... alguém que o resto da Liga e o mundo olha e enxerga o coração da equipe, sua bússola moral, confiança, bom humor, idealismo e um porto seguro.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

10 super-heróis que derrotaram a mulher maravilha em combate

A Mulher-Maravilha não é apenas o herói feminino mais reconhecido do mundo, ela também é um dos heróis mais poderosos da DC comics. Porém, mesmo os mais poderosos caem algumas vezes. É aquela coisa, você pode ser bom, mas sempre existe alguém melhor do que você em algum lugar.
Só porque a Mulher-Maravilha está  “pau a pau” com o Superman não significa que ela é invencível. Muitas pessoas (normalmente que não são fãs do personagem) se queixam que o Superman sendo muito forte torna as  histórias chatas e maçantes. Então, se você é um desses que acham que se o herói é muito forte não há nenhum desafio excitante para acompanhar, estou aqui para dissuadir você desse equívoco. Diana definitivamente perdeu algumas lutas, mesmo contra heróis que você poderia pensar que são mais fracos do que ela. Então aqui está nossa lista. Divirtam-se!





10. SUPERMAN​

Em uma história alternativa na série "Superman / Batman", Superman e Batman foram criados por vilões que transformaram a dupla em tiranos. Em vez de proteger os fracos, Superman e Batman os oprime.

A Mulher Maravilha foi um dos últimos a resistir à tirania. Ela até conseguiu matar Batman. Mas tudo o que conseguiu com isso foi enfurecer o Superman, que via o Batman como seu irmão. Superman atacou Diana com tanta fúria que ele a socou através de seus braceletes. No final, ainda usou o Laço de Verdade para estrangulá-la.


9. BATWOMAN

Seguindo a linha alternativa temos injustiça - Deuses entre Nós. Diana inadvertidamente mata a Caçadora com o uso excessivo de sua  força.Mas Batwoman buscou sua vingança. Ela tomou o Laço da Verdade de Diana e a estrangulou. Assim como a Mulher Maravilha Tinha feito para matar Caçadora. Ela não matou Diana, mas poderia se quisesse.



8. CAPITÃO ÁTOMO


Outra luta que vem de cortesia da série "injustiça - Deuses entre Nós” é a Mulher-Maravilha colidindo com o Capitão Átomo. Este estava a ponto de livrar o mundo do Superman tirânico, mas Diana interveio para salvar seu amor. Ela não só parou o ataque do Átomo​, como abriu seu traje de contenção com sua espada, garantindo uma sentença de morte para o herói, pois isso significava que ele agora explodiria. O capitão Átomo​ poderia simplesmente ter ficado na Terra e ter levado toneladas de pessoas com ele, mas em vez disso decidiu tentar poupar os inocentes; ele pegou o Superman e voou para o espaço  para que ambos morressem na explosão.

Diana voou logo após o capitão Átomo​ para tentar salvar Superman, mas o tempo não estava do seu lado. À medida que ela estava se aproximando do Átomo, a detonação aconteceu e a Mulher Maravilha recebeu o impacto da imensa explosão. Não só a explosão a tirou da luta, como a deixou em coma por um longo período.



7. MAXWELL LORD

Hoje em dia Max Lord é um vilão absoluto, mas ele não começou desse jeito. Embora desconfiasse dos meta-humanos, ele apenas temia que seu poder e confrontos diários ferissem inocentes no processo ou até destruíssem o mundo. Apesar disso, ele viu o potencial nos meta-humanos e resolveu dar-lhes uma chance, inicialmente querendo ajudar a formar a equipe da Liga da Justiça. Mas sua obsessão por  controlar as mentes alheias arruinou quaisquer aspirações nobres que o Senhor Lord tivesse, e ele se tornou um dos vilões mais poderosos do universo DC.
Ele tomou o controle do Superman e fez o Kryptoniano enxergar a Mulher-Maravilha como Apocalipse, iniciando uma grande batalha que Lord confessou (sob o poder do laço da verdade) que não poderia ser desfeita enquanto ele vivesse. Isso forçou Diana a matá-lo, mas suas ações foram transmitidas ao mundo, expondo-a como uma assassina a todos e destruindo sua reputação.



7 - BIZARRO
O clone distorcido do maior herói da terra é conhecido por sua fala e ações contrários ao padrão normal. Mas o  que quase todos esquecem é de sua brutalidade. Afinal, ele é um monstro, ou pelo menos sua criação resultou nisso. Na pior das hipóteses, você pode  chamar Bizarro de vilão, mas na melhor você poderia simplesmente olhar para ele como um herói falhado.

O fracasso de Bizarro como herói é evidenciado  na história da "Trindade" (2004), que se propõe a recontar os primeiros dias de Batman, Superman e Mulher-Maravilha. Sem dúvida Bizarro adoraria ser visto como um dos heróis mais icônicos do mundo, mas em vez disso ele é apenas um lembrete do que é ser uma versão imperfeita do Superman. Sua batalha  contra Diana se dá com tanta ferocidade que ele não só escapa do seu laço da verdade, mas usa sua força para rompê-lo e vencer a Amazona. A cena final do confronto é do monstro ensandecido segurando Diana pelos cabelos com o corpo todo ensanguentado.



6 . CAÇADOR DE MARTE


Ainda na série "injustiça - Deuses entre Nós"  tivemos um confronto da Mulher-Maravilha contra o Caçador de Marte, que tentava colocar um fim à loucura do Superman. J'onn viu o caminho perigoso que seu ex-amigo estava trilhando e fez um último esforço para evitar o pior de acontecer. Mas Clark estava louco de dor por perder Lois, e a Mulher Maravilha não facilitou as coisas também estando lá para acalorar a discussão.

J'onn finalmente voltou sua atenção para Diana e após algumas trocas de diálogo partiu pra cima de dela se infiltrando em seu interior. Ele envolveu seus órgãos e ainda comentou como poderia facilmente destruí-los. A Mulher Maravilha estava à beira da morte. Mas em um esforço desesperado, ela gritou para Superman  queimá-la com sua visão de calor. Diana não é fã de fogo, mas o Caçador de Marte é menos ainda. J’onn é vulnerável ao calor, então o ataque de Clark aparentemente matou J'onn e salvou Diana de ser completamente destruída.



5 . TEMPESTADE


Se estamos falando de universos alternativos na DC porque não na DC/MARVEL simultaneamente?
O evento contou com um grupo de personagens diferentes de cada marca se encontrando para batalhas um contra um. O diferencial foi que os fãs foram autorizados a votar sobre os resultados de algumas das batalhas, o que levou a alguns transtornos - Se bem que se você analisar algumas batalhas do Batman é cada exagero que é melhor deixar alguns resultados para os fãs escolherem mesmo  Hahahahah​.

Diana começou a batalha empunhando o martelo de Thor, mas o abandonou porque queria que fosse uma luta justa. Esse sentimento de honra foi a queda da Mulher-Maravilha,  porque Tempestade rapidamente a venceu, dando a Diana um gosto amargo da derrota.


4. ARTEMIS


A Rainha Hipólita realizou um concurso entre as amazonas para ver quem iria levar o nome de Mulher Maravilha. Ela tinha visões da Mulher Maravilha sendo morta, então criou um concurso para passar o manto para alguém e poupar a filha do trágico destino.

Diana lutou para manter seu título, mas Rainha Hipólita estava tão determinada a interferir em  seu caminho que ela usou suas habilidades para garantir que Diana perdesse. Ártemis tinha sido uma das amigas e rivais mais próximos de Diana, mas agora ela tinha dado um passo adiante, superando Diana e se tornando a nova Mulher-Maravilha. Foi uma derrota esmagadora para Diana, que forçou-a a desistir de seu título heroico e traje em favor de seu infame uniforme de couro dos anos 90. Enquanto seu novo uniforme era terrível e a derrota sem dúvida amarga, Hipólita estava certa e Ártemis como a nova Mulher Maravilha acabou por conhecer sua morte.


3 . HÉRCULES

Novamente em "injustiça - Deuses entre Nós" a Mulher - Maravilha se machuca, e muito. Isso tudo porque ela escolhe ficar ao lado de Superman. Desta vez o Homem de Aço foi desafiado por alguém que poderia competir com ele em termos de força - Hércules. Clark teve problemas logo no início da luta, mas como de costume, Diana pulou para tentar salvá-lo. Ser atacado por Superman e Mulher-Maravilha ao mesmo tempo seria tipicamente o fim de uma luta, mas Hércules não é um herói típico.

Hércules literalmente mandou o Superman para o espaço exterior, deixando a Mulher Maravilha sozinha na batalha. Antes que ela pudesse reagir, Hércules pegou Diana pela garganta e cortou sua respiração. Diana, que estava toda ensanguentada e machucada, não podia fazer nada, exceto expressar o medo demonstrado em seus olhos, enquanto Hércules  tinha a liberdade de machucá-la como quisesse. Se não fosse pela intervenção dos outros personagens super poderosos, Diana poderia ter perdido a vida aqui.

2 . MULHER-MARAVILHA

Aqui exige um pouco de explicação. Na saga A Odisséia de 2010, um pouco antes do famoso Reboot que resultou nos Novos 52, Diana teve sua essência dividida em duas partes pela Deusa da Retribuição. No final da jornada Diana confronta a si mesmo, ou parte de si, que estava com a Deusa. Essa parte sendo mais forte e guerreira derrota Diana atravessando-a com sua espada. No entanto essa situação permite a Diana usar os fios de cloto para se fundir a sua outra metade e expulsar a maligna deusa. Foi uma derrota física em prol da vitória maior. Mas tá valendo.


1 . BATMAN


Quando as pessoas pensam nesses dois em combate, normalmente a história que vem a mente é essa: “Mulher-Maravilha:  Hiketeia". Batman ficou bem “pisoteado” - se é que me entendem hahaha-  nessa ocasião, o que faz sentido em uma luta direta até. Bruce não tem poderes para ficar em pé de  igualdade com Diana. Isso não significa que ele nunca poderia vencê-la, no entanto. Batman é um especialista em calcular a fraqueza de seu oponente (mesmo que muitas vezes o roteiro desmereça seu oponente o favorecendo), e ele fez exatamente isso para vencer a Mulher Maravilha em "A Torre de Babel".

Nessa história, Batman havia compilado planos de contingência contra todos os seus aliados da Liga da Justiça, caso precisasse neutralizá-los. Mas Ra's al Ghul ganhou acesso aos planos e usou-os por conta própria com um efeito devastador. Cada membro da Liga da Justiça ficou exposto à sua fraqueza, no caso da Mulher-Maravilha sua natureza competitiva foi explorada colocando numa batalha sem fim com uma simulação. Uma vez que a situação foi resolvida, a Liga não podia ignorar  a culpa do Batman  no evento ocorrido. Afinal, eles foram retirados de combate facilmente e quase morreram devido esses planos de contingência. Então eles expulsaram Bruce da Liga.



E você? se lembra de mais alguma derrota grandiosa de nossa Princesa Amazona? Comente! Em breve vamos fazer um post da Diana chutando bundas Hahaha!!